quinta-feira, 28 de junho de 2012

O DEUS DO MUNDO


Artigo baseado nos documentários "A Servidão Moderna" de Jeans François Brient e "Capitalismo: uma história de amor" de Michael Moore


                Bem vindos à igreja chamada “mundo”! Vou apresentar-lhes o deus dessa igreja: Dinheiro! Sim, é absurdo pensar assim! Mas é a mais pura verdade. Já era o que pregava Jesus Cristo, Buda, Dalai Lama ou Gandhi! Já era Jeová, já era Alá! O nome do deus desse “mundo” se chama DINHEIRO!  Pense comigo só por um instante nessa analogia:
- Na antiguidade, as pessoas, para agradar ao seu deus, travavam guerras e massacravam populações inteiras. Isto acontece com o Dinheiro hoje, pois muitas pessoas estão travando guerras e matando em nome dele.
- Era atribuída a um deus a sobrevivência das antigas civilizações. Hoje é atribuída ao Dinheiro a sobrevivência das pessoas. Sem Dinheiro não se vive!
- Antigamente, em nome de deus, cometiam grandes atrocidades contra qualquer um, seja mulher ou criança. Assim, acontece hoje, pois pessoas indefesas são mortas em nome do Dinheiro.  
- As pessoas das “antigas civilizações” faziam tudo cegamente, obedeciam às ordens dos sacerdotes e religiosos que eram escolhidos por seus supostos deuses. Atualmente as pessoas estão obsecadas pelo Dinheiro, fazem tudo o que os bancos, as empresas e o que os governos querem.
A história sempre se repete, o que muda são os nomes dos “deuses” da humanidade! E o maior mandamento “Amai-vos uns aos outros como a ti mesmo”? Acho que a humanidade já se esqueceu dele... Hoje o mandamento oficial é outro: “Ame o Dinheiro, pois sem ele você não é ninguém”. Faça qualquer coisa por ele! Mate crianças, escravize trabalhadores, tire famílias de suas casas em nome da propriedade privada, venda drogas, venda o seu corpo, venda a sua alma para ele! As pessoas se tornaram tão dependentes do Dinheiro e do seu materialismo desenfreado, que ele tornou-se um deus que todos querem por perto. Assim como outras civilizações faziam sacrifícios humanos para os seus deuses, essa mistura de sistemas chamada de “capitalismo” faz milhões de sacrifícios humanos todos os dias por causa desse deus chamado “Dinheiro”. Mas, velhas profecias dizem que todo “deus” pune seu povo um dia. Talvez seja isso que esteja acontecendo no mundo que tem o Dinheiro como seu deus.
“Homem primata... capitalismo selvagem” dizia uma velha música dos anos 80. Livre empresa, intenção de lucros, competição: este é o capitalismo? Esse sistema, no qual vivemos inseridos, não é o capitalismo tão aclamado das “teorias”. Vivemos em uma mistura de sistemas que tem por objetivo gerar escravos ou como Wall Street mencionaria: gerar “livestock”, ou seja, “gados”! E gados têm que produzir carne e leite! É o que gera lucro para a classe dominante. Essa mistura de sistemas chamada de “capitalismo” é selvagem como o lobo que devora um cordeiro. É um estatismo com capitalismo que distribui uma síndrome de Estocolmo para os seus “escravos” chamados de classe proletária. Essa síndrome deixam os “escravos” apaixonados por seus sequestradores. Os EUA que o digam... Aproveitaram tanto da desgraça dos outros que agora estão pagando o pato. Estão sendo jogados para fora das suas casas pelo “governo” que deveria protegê-los. E muitos americanos continuam “amando” o governo e os bancos. E não é somente nos EUA que isso acontece: a Europa também está em uma grande crise. Resumindo: a população mundial vive uma “plutonomia”...
                Plutonomia é quando uma sociedade inteira é controlada para o benefício de apenas algumas pessoas, isto é, a burguesia. Podemos dizer que a elite burguesa com suas empresas e ações no Wall Street, o mais importante centro comercial e financeiro do mundo, é quem controla os 98% da população mundial. Wall Street é o berço dessa mistura de capitalismo selvagem. Nesse liquidificador de sistema, os que trabalham não lucram e os que lucram não trabalham. Só que esse modo de controlar a economia mundial pode estar com seus dias contados. Karl Max diz no Manifesto Comunista que “para oprimir uma classe é preciso poder garantir-lhe condições tais que lhe permitam pelo menos uma existência de escravo.” Condição de escravo... Pensemos neste termo...
                Essa mistura capitalista está ruindo tanto que não está dando nem condições de “escravos” à classe trabalhadora. É só ver as notícias nos jornais: criminalidade aumentando, desempregos, fome em todo o mundo, recessão econômica, guerras... Quem iria imaginar, décadas atrás, que a Grécia viveria uma crise econômica? Estamos em um mundo que é como uma bomba relógio, pois, pode explodir a qualquer momento. E existe muita gente que está lucrando com isso. A burguesia aprendeu que um pouco de medo funciona: gritam aos quatro ventos que o mundo está em recessão econômica. Então os administradores de bancos faturam bilhões com a expansão do medo. Veja o caso do dinheiro do resgate que o congresso americano deu para Wall Street e que foi usado para comprar outras empresas. Wall Street alegou que se não fosse emprestado o dinheiro a economia mundial iria sofrer.

                O deus do mundo está gordo de tanto se empanturrar de oferendas em um ritual macabro! Os sacerdotes são os bancos, os devotos são os burgueses, a igreja é o mundo e as oferendas são milhões de trabalhadores que são hipnotizados diariamente pelo olhar maquiavélico e sedutor desse deus chamado Dinheiro. “Suprimi a exploração do homem pelo homem e tereis suprimido a exploração de uma nação por outra” diz um velho ditado. Será que conseguiremos algum dia fugir desse ritual de exploração e descobrir que o verdadeiro Deus dissipa dos homens a ignorância e a ilusão? Será que vamos descobrir algum dia que o verdadeiro Deus nos faz livres e não escravos?

Algumas frases:
 
 “Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido.” – Dalai Lama

“Mais vale o pouco que o justo tem, do que as riquezas de muitos ímpios.” - Salmos 37:16

“Para criar inimigos não é necessário declarar guerra, basta dizer o que pensa.” – Martin Luther King

Documentário "A Servidão Moderna" de Jeans François Brient


 O Youtube bloqueou o Documentário "Capitalismo: uma história de amor" de Michael Moore. Então, estou disponibilizando o link para baixar este documentário. Vale a pena ver!!!



Um comentário:

  1. nossa parabens falo tudo !!! muito bom.

    ResponderExcluir